Empresa paga até US $ 7,8 milhões por vender seringas contaminadas


Um remédio, e  um dispositivo médico o fabricante na Pennsylvania concordou em pagar até US $ 7,8 milhões pela venda de seringas contaminadas, informam os pesquisadores federais.

B. Braun vai evitar acusações criminais em troca de implementação de procedimentos para melhorar a fiscalização dos seus fornecedores, disseram autoridades quarta-feira. A empresa vai pagar US $ 4,8 milhões em multas e lucros confiscados, além de até US $ 3 milhões em restituição.

A empresa, com sede em Melsungen, Alemanha, tem sede nos EUA em Bethlehem, Pensilvânia.

A liquidação surge em resposta à venda de seringas contaminadas que os promotores dizem que levaram a um surto de infecções bacterianas e pelo menos cinco mortes. As seringas foram distribuídas por B. Braun mas feitas por outra empresa.

“Estamos totalmente empenhados em garantir a segurança do paciente”, Constance Walker, diretor de comunicações de marketing da B. Braun, disse em um comunicado. “Nesse sentido, concordaram em tomar medidas adicionais de cumprimento relacionadas com a qualificação e monitorização de outros fabricantes de produtos acabados distribuídos pela B. Braun com o nome de B. Braun no rótulo ou logotipo.”

As alegações resultou de uma investigação pela Food and Drug Administration(FDA) dos EUA que começou depois de um surto de 2007, que adoeceu mais de 100 pessoas em todo o país.

A empresa começou a comprar seringas salinas de AM2PAT na Carolina do Norte em Março de 2006 e anunciou um recall voluntário das agulhas por causa de partículas encontradas neles que a FDA disse que pode causar danos ao cérebro, coração e outros órgãos. B. Braun, em seguida, retomou a compra de seringas de AM2PAT que foram encontrados para ser contaminados com bactérias que podem causar infecções do sangue.

Dois dos funcionários da AM2PAT se declararam culpados em caso federal, e o presidente da empresa, Dushyant Patel, foi indiciado em 2009, mas fugiu do país.

Fonte:MDTMAG



Comentários