A Digitalmed apoia o Outubro Rosa (2015)


foto capa

 

Câncer de mama: conhecimento e conscientização para reduzir a mortalidade

 

O Movimento Outubro Rosa foi criado para conscientizar o público em geral, e principalmente as mulheres, dos fatores de risco, dos fatores de proteção e das medidas de detecção precoce relacionadas ao câncer de mama.

Em 2015:

A campanha do INCA tem como objetivo fortalecer as recomendações para o diagnóstico precoce e rastreamento de câncer de mama preconizado pelo Ministério da Saúde, desmistificando crenças em relação à doença e às formas de redução de risco e de detecção precoce.

Os desafios no controle do câncer de mama dependem não apenas da realização da mamografia, mas também do acesso ao diagnóstico e ao tratamento com qualidade e no tempo oportuno. Além disso, de acordo com os especialistas do INCA, há necessidade de se realizar ações ao longo de todo o ano e não apenas no mês de outubro.

A Digitalmed apoia o INCA para Divulgação:

 

O câncer de mama é mais comum entre todas as mulheres do mundo, depois do de pele não melanoma, respondendo cerca de 25% dos casos a cada ano. O INCA estima 57.120 novos casos em 2015, no total já consta 14.388 mortes, sendo 181 homens e 14.207 mulheres (2013 – SIM).

Existem vários tipos de cancer de mama, entre homens antes dos 35 anos são relativamente raros.

Por meio de alguns sinais e sintomas pode ser percebido em fases iniciais. A principal manifestação da doença é o nódulo, fixo e geralmente indolor.

 

O nódulo está presente em cerca de 90% dos casos quando o câncer é percebido pela própria mulher. Outros sinais e sintomas são: pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja; alterações no bico do peito (mamilo); pequenos nódulos nas axilas ou no pescoço; e saída de líquido anormal das mamas.

Em geral a maioria dos casos tem bom prognóstico e recomenda-se sempre uma avaliação pessoal com um médico de confiança.

 

Posso ter câncer de mama?

Não existe uma causa única para o câncer de mama. A doença está relacionada a fatores de risco ambientais/comportamentais, reprodutivos/hormonais e genéticos/hereditários. Esses últimos são responsáveis por 5% a 10% do total de casos.

 

Fatores de Risco

 

1- Endócrinos ou relativos à história reprodutiva

Referem-se ao estímulo do hormônio estrogênio produzido pelo próprio organismo ou consumido por meio do uso continuado de substâncias com esse hormônio. Esses fatores incluem: história de menarca precoce (idade da primeira menstruação menor que 12 anos); menopausa tardia (após os 55 anos); primeira gravidez após os 30 anos; nuliparidade (não ter tido filhos); e uso de contraceptivos orais e de terapia de reposição hormonal pós-menopausa, especialmente se por tempo prolongado.

O uso de contraceptivos orais também é considerado um fator de risco pela Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (Iarc) da Organização Mundial da Saúde (OMS), embora muitos estudos sobre o tema tenham resultados controversos

 

2-Relacionados a comportamentos ou ao ambiente

Incluem ingestão de bebida alcoólica, sobrepeso e obesidade após a menopausa e exposição à radiação ionizante (tipo de radiação presente na radioterapia e em exames de imagem como raios X, mamografia e tomografia computadorizada). O tabagismo é um fator que vem sendo estudado ao longo dos anos, com resultados contraditórios quanto ao aumento do risco de câncer de mama. Atualmente há alguma evidência de que ele aumenta também o risco desse tipo de câncer.

O risco devido à radiação ionizante é proporcional à dose e à frequência. Doses altas ou moderadas de radiação ionizante (como as que ocorrem nas mulheres expostas a tratamento de radioterapia no tórax em idade jovem) ou mesmo doses baixas e frequentes (como as que ocorrem em mulheres expostas a dezenas de exames de mamografia) aumentam o risco de desenvolvimento do câncer de mama.

 

3-Fatores genéticos/hereditários

Estão relacionados à presença de mutações em determinados genes transmitidos na família, especialmente BRCA1 e BRCA2. Mulheres com histórico de casos de câncer de mama em familiares consanguíneos, sobretudo em idade jovem; de câncer de ovário ou de câncer de mama em homem, podem ter predisposição genética e são consideradas de risco elevado para a doença.

 

Posso evitar o câncer de mama?

 

Estima-se que 30% dos casos da doença possam ser evitados quando são adotadas práticas saudáveis como:

Praticar atividade física regularmente,

Alimentar-se de forma saudável;

Manter o peso corporal adequado e evitar o consumo de bebidas alcoólicas.

Amamentar também é um importante fator de proteção.

 

  • foto anual digitalmed



Comentários