Amazon inova para eliminar intermediários como UPS e FedEx e assumir o controle das suas entregas


UPS e FedEx tendem a ficar cada vez mais distantes da gigante de varejo online.

Segunda-feira fiz uma compra na Amazon. Na terça-feira, um dia depois, a mercadoria já estava dentro da minha casa em San Francisco. A Amazon tem realizado inúmeros esforços para diminuir o tempo de entrega e eliminar os intermediários do processo de delivery. A empresa começou a explorar alternativas depois que uma grande falha em seu serviço de entrega ocorreu 2 anos atrás. Na época, milhares de produtos confirmados para serem entregues até o Natal não chegaram a tempo.

A Amazon culpou a UPS pelo problema e começou a estudar opções para assumir o total controle do processo. A estratégia, obviamente, tem grande potencial de estremecer o relacionamento com os tradicionais players do setor, como UPS e FedEx. As ofertas de emprego abertas pela Amazon em 2015 revelaram os planos da empresa de inspecionar toda a sua logística com o objetivo de lançar a sua própria infraestrutura de entrega em 2016.

Há boatos de que a empresa negocia o arrendamento de 20 aviões Boeing 767 para uma operacão aérea experimental. Antes disso, no início de dezembro, a Amazon comprou milhares de caminhões para acelerar o envio de mercadorias pelos EUA. Além disso, foi lançado um serviço de entrega em uma ou duas horas, chamado Prime Now, para fazer delivery aos domingos. Para completar, a Amazon não desistiu do seu sonho de fazer entregas usando drones. Em novembro, a empresa lançou o protótipo do seu veículo aéreo não tripulado e agora pressiona o governo americano para aprovar um serviço de entrega em 30 minutos através de drones.

Com todos esses esforços, a Amazon está cada vez mais próxima de assumir o controle do seu delivery, que é um dos mais importantes processos do seu negócio, e eliminar a necessidade dos serviços dos big players mundiais de entrega.



Comentários